Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



10fracassos

 

Se as há e podem ser identificadas, que razões podem ser apontadas para o fracasso ou sucesso de uma determinada edição online, garantida à partida alguma qualidade do produto musical? Esse é o ponto de partida, um disco gravado e editado online com qualidade suficiente para vingar. E não se deve entender aqui apenas a questão comercial, muito pelo contrário, deve entender-se também a avaliação positiva por parte dos fãs e críticos de música. Eis as 10 razões para o fracasso de uma edição online:

 

1. Uma promoção negligente - Obviamente, a mais importante. Promova fortemente a sua edição enviando para os vários mas seleccionados media – online e outros - uma nota de imprensa sobre o disco a editar. Disponibilize-se para entrevistas ou outro tipo de promoções.

 

2. Ignorar a disponibilização de promos digitais – Certamente que muitos dos blogs e webzines para onde enviou a nota de imprensa farão habitualmente críticas a novos discos. Envie para esses, via e-mail, uma cópia digital do disco. Utilize por exemplo o serviço We Transfer.

 

3. Sem streaming – Coloque o disco ou boa parte dele em audição, deixe fãs e potenciais fãs conhecer livremente a sua música. O Bandcamp resolve este problema de uma forma bem simples e competente. 

 

4. Má gestão da ansiedade - A facilidade em editar digitalmente nos dias de hoje, pode levar em alguns casos a alguma má gestão da ansiedade. É importante maturar bem as ideias antes de lançar um novo disco online. A ideia pode ser boa, mas pode ficar ainda melhor se for bem maturada.

 

5. Produção descuidada – E uma coisa leva à outra. Neste campo e incluindo-se todo o processo de gravação, mistura, masterização, etc., há que manter um nível razoável de qualidade. Já se fazem belíssimas gravações caseiras...mas também se pregam boas rasteiras.

 

6. Artwork desleixado – Mesmo sendo uma edição digital e não necessitando por isso, obrigatoriamente, de booklets e afins, deve criar-se indubitavelmente uma imagem atraente para a capa do disco. É ela que vai viajar interminavelmente por essa rede fora.

 

7. Sem imagem – Não tem de ser muito complexa mas faça uma pequena sessão fotográfica para acompanhar a nota de imprensa e futuros trabalhos sobre o disco. Se não houver orçamento convide um amigo com jeito para o click!

 

8. Pouca proactividade social – Outra bastante importante. Não fique à espera que os fãs lhe caiam nos braços, ative as suas redes sociais e websites, respondendo e puxando pelos seus fãs. Naturalmente, pressupõe-se uma óbvia presença na Internet, desde logo nas redes sociais da moda – Facebook, Twitter, You Tube, Instagram, etc.

 

9. Inexistência de uma presença videomusical – Com um videoclip, "lyric video" ou apenas o som do single, não deixe de marcar presença no You Tube. Não se esqueça, é lá que muita gente procura a tal música.

 

10. Ok, se fez tudo isto e não resultou, talvez o disco não seja assim tão interessante como pensávamos. É insistir, nunca desistindo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:08





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Receba as novidades por e-mail






Comentários recentes



Mensagens


Web Analytics